O candidato a vice-presidente, Fernando Haddad (PT).  José Cruz/Agência Brasil

Paulo César Dutra (PC)

O ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aceitou a ação movida pela campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) contra o candidato Fernando Haddad (PT), classificando as apresentações de Roger Waters como “showmícios” a favor do petista. As informações são do UOL.

A produtora T4F Entretenimento é acusada, pela defesa de Bolsonaro, de ser a maior beneficiária da Lei Rouanet no país. A ação ainda pede a inelegibilidade de Fernando Haddad e de sua vice, Manuela D’Ávila, por oito anos

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

A decisão, enviada no último sábado (27), acusa a T4F e o candidato Haddad de realizarem propaganda eleitoral irregular. Procuradas pelo UOL, a T4F e a campanha do petista, não se manifestaram.

Em seus shows pelo Brasil, o músico Roger Waters protestou contra Bolsonaro diversas vezes. Ele chamou o então candidato de fascista e exibiu a hashtag #EleNão, usada contra o agora presidente eleito, no telão de seus shows.

CPI da Máfia dos Guinchos pede quebra do sigilo telefônico de empresários

A CPI da Máfia dos Guinchos da Assembléia Legislativa do Espírito Santo  pediu a quebra do sigilo telefônico dos donos das empresas Avocat e Rebocar, participantes da licitação do Detran-ES para a contratação de pátios de veículos. A decisão foi tomada em reunião ordinária de ontem, segunda-feira, dia 29, a pedido da relatora da comissão, Janete de Sá (PMN), após colher depoimento da proprietária da empresa Rebocar, Priscila Karla Pereira dos Santos.

No depoimento, a empresária sugeriu que houve direcionamento da licitação por parte do Detran, já que sua empresa havia ganhado o pregão eletrônico em cinco dos doze lotes do certame, mas, na fase de entrega da documentação, o órgão desclassificou a empresa. Segundo Priscila, os documentos entregues ao órgão estavam em conformidade com o edital licitatório.

A empresária também acusou uma funcionária do departamento de ter afirmado que ela não poderia recorrer do resultado porque o sistema de pregão eletrônico seria “engessado”. Priscila também informou que o proprietário de outra empresa concorrente da licitação havia entrado em contato com ela para que a Rebocar não participasse do pregão para determinados lotes, mas, segundo Priscila, ela não concordou e participou de todos os lotes da licitação.

A relatora da CPI disse que está claro que todo o processo está viciado e que ele deveria ser inviabilizado. Atualmente, a licitação está suspensa temporariamente, por decisão do diretor-geral do Detran, Romeu Scheibe Neto.

Para a próxima reunião da CPI, que será realizada na segunda-feira (5), os deputados decidiram convocar os proprietários da empresa Avocat, Dionísio Gomes e Dionísio Gomes Filho. Os dois já foram investigados pela CPI em outra ocasião, quando uma empresa gerida por eles, a Centra Park, foi denunciada por dano ao patrimônio privado e por contaminação do solo e do meio ambiente.

Para a deputada Janete de Sá, o edital em andamento tem “falhas grosseiras” já que os empresários investigados pela CPI não poderiam estar participando da licitação para contratação de pátios. “Está claro que isso é um trambique”, alertou a parlamentar.

Na semana passada, a CPI recebeu o diretor-geral do Detran, Romeu Scheibe Neto. Ele afirmou que pretende verificar indícios de irregularidades em processos licitatórios no órgão.

Concurso de delegado

Foi  aprovada hoje, terça-feira, dia 30, em sessão extraordinária na Assembleia Legislativa do Espírito Santo – ALES o Projeto de Lei Complementar (PLC) 23/2018, que altera a Lei Complementar que regra o ingresso na carreira – (LC) 884/2016, que limitará a participação de candidatos aprovados a partir da terceira etapa em concurso para delegado de Polícia Civil. A seleção ficará restrita a cinco vezes o número de vagas previstas no edital, e não mais todos candidatos que acertarem mais da metade das duas primeiras provas.

Atualmente no Espírito Santo, a pessoa que disputar uma vaga e alcançar pelo menos 50% nas provas objetivas e discursivas já está selecionada para participar das etapas subsequentes. Autor da matéria, o governo alega que o modelo atual representa um alto gasto aos cofres públicos com etapas seguintes, exames de aptidão física e prova oral. Os valores poderiam inviabilizar a realização do concurso, segundo justificativa.

STF da República

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) indicará ao menos dois ministros para o Supremo Tribunal Federal – STF. Isso, claro, se não levar adiante a ideia de aumentar para 21 o número de vagas na Corte. Desde a República, a maior quantidade de indicações de ministros foi feita por Getúlio Vargas (21). Lula indicou 8 e a Dilma 6.

Manda quem pode

‘Manda quem pode, obedece quem tem juiz’. O juiz Federal Sérgio Moro no Ministério da Justiça ou no Supremo Tribunal federal – STF. O presidente eleito Jair Messias Bolsonaro manda o juiz escolher o que quer. Com a palavra, Sérgio Fernando Moro.

Empastelar

Será que voltaremos a ter empastelamento de jornais? Ai, ai, ai…

Cenário

Com a reforma da Previdência à frente, o plano do novo governo de abrir caminhos para ajustar a economia antes mesmo da posse vai, aos poucos, ganhando terreno.

Etanol

O ex-presidente Lula investiu muito na cachaça. Já o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) vai investir pesado no etanol no Brasil e com destaque para o Espírito Santo. É só ele não fazer nenhum contrato com os aventureiros do etanol donos da empresa de fachada Infinity Bio-Energy com endereço no paraíso fiscal do Caribe e tendo como presidente o diplomata, o diplomata Sérgio Schiller Thompson Flores, o álcool vai prosperar no Brasil, nos carros.