Ex-vereador Uélikson Boone, o Bolinha.
conteúdo publicitário

“Por enquanto não vamos nominar os partidos, mas boa parte dos que estão estruturados no município tem uma parceria firme conosco”, destacou.

O ex-vereador Uélikson Boone, o Bolinha (PSB) confirmou a sua pré-candidatura a prefeito na eleição de 2020 em Vila Pavão.  Ele disputou e perdeu a eleição de 2012 para Eraldino Jan Tesch (MDB), e em 2016 perdeu novamente por uma pequena diferença, para o atual prefeito Irineu Wutke (SD).  Nas eleições anteriores, porém, venceu duas eleições, apoiando o então prefeito Ivan Lauer (PSB), que governou de 2005 a 2008 e de 2009 a 2012.

conteúdo publicitário

Falando para a coluna Na Mira, Bolinha afirmou que coordenou o PSB, que “sempre agregou um grupo forte com lideranças que representam todos os segmentos e todas as comunidades do município”.

“Disputamos as eleições municipais de 2016 como cabeça de chapa, perdendo por uma diferença minúscula, e acreditamos que por motivos alheios ao nosso planejamento e desempenho”, frisou.

O ex-vereador disse que tem realizado um trabalho de manutenção da maioria das lideranças e agregado várias novas lideranças insatisfeitas com a atual administração municipal.

“Mantemos uma boa relação com a grande maioria das lideranças políticas e institucionais do município”, disse.

Bolinha destacou que possui a longas datas uma relação afinada e de confiança com o Governo do Estado, representado pelo correligionário Renato Casagrande, que na sua avaliação, apesar de estar no início do mandato, já demonstra habilidade na articulação política e um ótimo nível de confiança da população.

“Meu nome não é novo no cenário político de Vila Pavão, tendo registrado um bom trabalho por onde passei, me credenciando com conhecimento e expectativa positiva como um bom candidato a prefeito para o nosso município, por grande parte dos nossos munícipes”, salienta o socialista.

Apoio garantido

Bolinha informa que está numa fase de conversas com a direção estadual do PSB e com lideranças do Governo do Estado, que com certeza estão inseridos direta e indiretamente na articulação em torno do seu nome.

Segundo ele, a nível de município essa articulação já acontece desde as eleições de 2016. “Por enquanto não vamos nominar os partidos, mas boa parte dos que estão estruturados no município tem uma parceria firme conosco”, destacou.

O ex-vereador socialista informou que existe um esforço nacional e ainda com maior ênfase no Estado, para que o PSB possa disputar e eleger o maior número de prefeitos possíveis, visando o fortalecimento do partido de forma geral.

Bolinha argumentou que Vila Pavão se enquadra de maneira forte nesse quadro, pois segundo ele, tem um cenário muito favorável. “Sem nenhum pensamento de recuar da pré-candidatura”, frisou.

Questionado sobre o apoio à sua pré-candidatura a prefeito, Bolinha enfatizou que já conta com o apoio da direção estadual do PSB, do deputado federal e secretário de Agricultura Paulo Foletto, do deputado estadual e secretário de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social Bruno Lamas, do governador Renato Casagrande, do deputado federal Ted Conti, além de outras lideranças influentes no Espírito Santo em nível estadual e regional.

No território do município, Bolinha afirma que conta com o apoio de um grande leque de lideranças políticas, institucionais, comunitárias, religiosas, comerciais, associativistas, esportistas, entre outros.

Outros nomes

Além de Bolinha, são cogitados os nomes do prefeito Irineu Wutke (SD), vice José Wilson Vieira (DEM), Valdez Ferrari (PSDB), Eraldino Jann Tesch (MDB) e Ademir Teixeira (PDT).

Leia mais

Ademir Teixeira é pré-candidato a prefeito de Vila Pavão