O deputado destaca que o Governo do Estado alimenta uma mentira

O deputado destaca que o Governo alimenta uma mentira, quando afirma que tem que repor orçamento ao IPAJM para realizar o pagamento dos militares da reserva e pensionistas

“A matéria veiculada no jornal A Gazeta desta terça-feira (09), que fala sobre o suposto gasto que o Estado tem com os Policiais Militares e Bombeiros Militares da reserva, afirmando que o benefício consome 54% das despesas estaduais não revela a verdade dos fatos que deve ser mais bem apurada”.  Esta é afirmação do deputado estadual Capitão Assumção (PSL), o defensor mais ferrenho dos militares.

“Está clara a intenção do Governo do Espírito Santo em, com esse discurso sensacionalista, querer reduzir os vencimentos dos militares que estão na Reserva Remunerada (RR) e desmoralizar ainda mais a instituição que vem sendo dilacerada governo após governo”, argumenta Assumção.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

O deputado destaca que o Governo do Estado alimenta uma mentira, quando afirma que tem que repor orçamento ao Instituto Jerônimo Monteiro para realizar o pagamento dos militares da reserva e pensionistas.

“Os responsáveis pela reportagem deveriam falar a verdade num processo de apuração melhor detalhado. É premissa básica do jornalismo ouvir todos os lados envolvidos em um tema antes da construção de um texto.  Deveria constar na reportagem, por exemplo, que os militares vivem em média 58 anos. Jovens profissionais da Segurança Pública morrem lutando contra o crime e nada mais justo o amparo às viúvas. Este dado científico vem sendo ardilosamente escondido pela imprensa e pelo Governo do Estado”, diz.

Segundo o parlamentar, todos os meses é descontado 11% nos contracheques dos militares para o Instituto e o montante vai para o caixa único do Estado. Mas o Governo não faz o repasse imediato do valor para o Instituto Jerônimo Monteiro, retendo o dinheiro e quando o Instituto realiza o pagamento dos militares da reserva e pensionistas fica com o “pires na mão” mendigando à Secretaria da Fazenda o repasse que já é seu de direito.

“O Governo do Estado não precisa completar a folha de pagamento dos Policiais Militares e Bombeiros Militares, como afirmou na reportagem publicada nesta terça-feira (09). O que o governo fez (e está fazendo) é uma imensa covardia com todos os heróis que tanto contribuíram com a segurança do Espírito Santo. O que não pode continuar acontecendo é o uso de um dinheiro que é dos militares da reserva como moeda de barganha, como vem sendo feito”, desabafa Assumção.

“Estou em Brasília, juntamente com o Sub Tenente Assis e os diretores das associações de PM e BM, Major Bolzan (ASSOMES), Tenente Emerson (ABMES), Capitão Amorim (ASSES) e Cabo Eugênio (ACSPMBMES), para repararmos essa injustiça de feita no governo Paulo Hartung e, não corrigida pelo governo Casagrande (reserva aos 35 anos) e lutarmos pela paridade e integralidade, senão, daria a imediata resposta no Plenário da Assembleia. Mas na primeira oportunidade eu farei isso. Cobrarei responsabilidade do governo e desmascararei o jornal A Gazeta por mais esta covardia contra nossos heróis”, afirma o deputado estadual Capitão Assumção.  Fonte: Assessoria de Comunicação – Mary Martins