Capitão Assumção considera normal o fato dele em nome do grupo, pleitear a disputa da presidência. Foto: Google
publicidade

O PSL elegeu a maior bancada: quatro deputados, seguido pelo PSDB, com três deputados, o MDB, PRB, PV, PRP e PSB, respectivamente com dois parlamentares e o restante dos partidos com apenas um deputado cada sigla.

Em atendimento a recomendação do Diretório Nacional do Partido Social Liberal (PSL), o Espírito Santo poderá ter a partir do próximo ano, o Poder Legislativo comandado por um dos deputados eleitos na onda do presidenciável Jair Bolsonaro para o biênio 2019/2020.  Entre os quatros deputados eleitos pela sigla que mais tem crescido no Brasil: Delegado Danilo Bahiense, Coronel Alexandre Quintino, o radialista Torino Marques, o escolhido para a tarefa é o Capitão Assumção.

Capitão Assumção atuou como deputado federal no biênio 2009/2010, ocasião em que ganhou notoriedade ao defender de forma ferrenha, entre outras matérias de relevância, a PEC 300, que visava garantir benefícios aos militares de todo país.

Eleição da Mesa Diretora

A eleição da mesa diretora será realizada seguindo o Regimento da Casa, no dia 1º de fevereiro, após a posse dos novos deputados eleitos e outros reeleitos no dia 07 de outubro.  A posse dos deputados, do governador Renato Casagrande e vice Jacqueline Moraes, ambos do PSB, acontecerá no dia 1º de janeiro do próximo ano na Assembleia.

Conforme divulgado na imprensa do Estado, o deputado federal e presidente estadual do PSL capixaba, Carlos Manato tem defendido que a sigla tem perfeitas condições de pleitear e vencer a eleição para o comando da Assembleia, com apoio de deputado novatos, bem como, de antigas lideranças da política capixaba, que foram reeleitos para o cargo.

Manato disputou o Governo do Estado, e acabou ficando em segundo lugar, perdendo para Casagrande (PSB) e superando, no entanto, a senadora Rose de Freitas (Podemos) e demais candidatos.

O deputado federal e presidente estadual do PSL capixaba, Carlos Manato tem defendido que a sigla tem perfeitas condições de pleitear e vencer a eleição para o comando da Assembleia. Foto: Google

Líder do PSL

Escolhido pelo grupo como líder do PSL na futura legislatura na Assembleia, o deputado eleito Capitão Assumção considera normal o fato dele em nome do grupo, pleitear a disputa da presidência.  Segundo Assumção, o partido estaria seguindo a orientação da direção nacional do partido, que tem o propósito de disputar a eleição em praticamente todas as Assembleias Legislativas do Brasil, onde foram eleitos ‘deputados bolsonarianos’.

A vitória de Bolsonaro no próximo domingo, dia 28, caso seja confirmada pela população, seguindo a tendência e pesquisas divulgadas na imprensa nacional, daria mais força ao projeto do PSL capixaba em busca da formação da chapa, que precisaria atingir no mínimo 16 votos dos 30 deputados estaduais que comporão o Plenário.

Além de Capitão Assumção, naturalmente outros nomes estão sendo mencionados na mídia estadual como postulantes ao cargo.

Novas bancadas

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 614 candidatos participaram da disputa eleitoral por uma vaga na Assembleia.

A novas bancadas da Assembleia ficaram da seguinte forma a partir do próximo ano, para o mandato de 2019/2022, o PSL com a maior: quatro parlamentares, seguido pelo PSDB, com três deputados, o MDB, PRB, PV, PRP e PSB, respectivamente com dois parlamentares e o restante dos partidos com apenas um deputado cada em cada sigla.

Composição

O PSL elegeu quatros deputados: Delegado Danilo Bahiense, Capitão Assumção, Coronel Alexandre Quintino e Torino Marques.  Já o PSDB, ficou com três deputados: Vandinho Leite, Pr. Marcos Mansur e Dr. Emílio Mameri.

O MDB por sua vez, reelegeu dois parlamentares: Doutor Hércules e José Esmeraldo.  O PRB reelegeu também dois: Hudson Leal e Erick Musso. O PV também fez dois novatos: Luciano Machado e Marcos Garcia. O PRP elegeu dois: Delegado Lorenzo Pazolini e Dary Pagung.

O PSB, partido do governador Casagrande reelegeu apenas dois deputados: Sérgio Majeski e Bruno Lamas.

Os outros partidos elegeram apenas um deputado: Theodorico Ferraço (DEM), Fabrício Gandini (PPS), Janete de Sá (PMN), Enivaldo dos Anjos (PSD), Adilson Espíndula (PTB), Alexandre Xambinho (Rede), Carlos Von (Avante), Euclério Sampaio (DC), Marcelo Santos (PDT), Iriny Lopes (PT), Raquel Lessa (PROS), Renzo Vasconcelos (PP) e Dr. Rafael Favatto (Patriota).

publicidade