Casagrande e Zema trataram sobre medidas mais efetivas e a demora nos reparos à população atingida

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, esteve em Minas Gerais nesta terça-feira (04) em reuniões com o governador mineiro Romeu Zema e com as diretorias da Fundação Renova e da mineradora Samarco. O capixaba tratou sobre as ações de reparação e compensação que vem sendo desenvolvidas pela fundação após o desastre de Mariana, ocorrido em novembro de 2015. Casagrande cobrou ações mais efetivas para a população e defendeu o retorno das atividades da mineradora para a retomada da atividade econômica.

A primeira agenda foi realizada pela manhã com a Fundação Renova, responsável pelas reparações dos danos causados pelo desastre de Mariana. Casagrande e Zema trataram sobre medidas mais efetivas e a demora nos reparos à população atingida. “Também cobramos para que se estabeleça medidas e ações que deixem um legado para quem mora na Bacia do Rio Doce como, por exemplo, obras de saneamento, água e esgoto, investimento na cobertura florestal e outras obras que possam levar um desenvolvimento econômico”, afirmou.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

Casagrande demonstrou preocupação com a lentidão nessas ações mais estruturantes e pediu mais agilidade. “A Fundação disse que a governança do próprio órgão, com os conselhos técnicos, acaba atrasando. A reunião de hoje teve membros dos dois governos, do Ministério Público e vamos ao presidente do Ibama na semana que vem, pois ele é presidente do comitê interfederativo. Queremos que o dinheiro seja aplicado mais rapidamente e deixe um caminho de desenvolvimento”, pontuou.

Na reunião com a diretoria da Samarco, o governador capixaba ressaltou a necessidade do retorno das atividades da empresa. “Nós queremos que a empresa volte a funcionar. A atividade econômica do Brasil é frágil, a Samarco é uma empresa importante para os dois estados e queremos o retorno das atividades rapidamente. Não queremos que os acionistas deixem de ter responsabilidade pelo desastre, mas a atividade econômica da empresa é importante que seja reativada. Achamos que está demorando muito para retomar”, disse.

Também participaram da reunião o prefeito de Mariana (MG), Duarte Eustáquio Gonçalves Júnior, representando os municípios da região atingida pelo desastre. “O retorno depende de algumas questões de licenciamento ambiental, mas também da Samarco tomar decisões internas que deem agilidade em seu retorno”, apontou o governador capixaba, que ressaltou a importância do trabalho alinhando com os Estados vizinhos.

Na próxima terça-feira (11), o governador Casagrande participará do Fórum dos Governadores, em Brasília (DF). No dia 13 de Julho, o Espírito Santo vai sediar um novo encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud). Será a quarta reunião dos governadores das duas regiões.