O presidente do PSDB e vice-governador do Espírito Santo, Cesar Colnago, enfim deu o aval e oficializou aliança entre o partido com PSB e PDT. Foto: divulgação/ES Hoje

Por Paulo César Dutra . e-mail: dutra7099@gmail.com

 

Em reunião, no início da tarde desta sexta-feira (3), na sede capixaba do PSDB, o presidente da sigla tucana e vice-governador do Espírito Santo, Cesar Colnago, enfim deu o aval e oficializou aliança entre o partido com PSB e PDT. Desta forma, definitivamente, nas eleições de outubro o candidato ao Governo do Estado apoiado pelo PSDB será Renato Casagrande. Participaram da reunião, além de Colnago, o senador Ricardo Ferraço, Casagrande e Sérgio Vidigal – presidente estadual do PDT.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

Na oportunidade, César Colnago, presidente estadual do PSDB, entregou à Renato Casagrande um documento com diretrizes e conceitos fundamentais para consolidação dessa aliança.

Embora, sob a coordenação do senador Ricardo, o PSDB já tivesse se comprometido em caminhar com o ex-governador, Cesar Colnago ainda não havia confirmado neste sentido. Na convenção do partido, na segunda-feira (30), o tucano disse que muito ainda teria que ser discutido e deixou a decisão para até o dia 5, fim do prazo das convenções.

“A tendência é apoiarmos Casagrande, mas aguardamos ainda um posicionamento do partido em nível federal. Também estamos dialogando sobre as questões proporcionais. Só bateremos o martelo no dia 5 de agosto”, revelou Colnago na ocasião.

Vice rosa

A mistura de gênero nas chapas majoritárias tem sido prática em todo país e nas eleições para o Governo do ES isso também poderá ser identificado. A senador Rose de Freitas terá um homem como vice de chapa, e tudo indica que os partidos que apoiam a candidatura de Renato Casagrande também estão avaliando esta necessidade. Nome forte para o cargo é da ex-secretária de Governo da Prefeitura de Vitória, Lenize Loureiro, por indicação do PPS. No momento ela é pré-candidata a deputada federal.

Paulo Hartung candidato? Dá tempo!

Eu já vi de tudo aqui no Espírito Santo na disputas eleitorais, mas isto que o governador Paulo Hartung (MDB) está fazendo é inédito. Está todo mundo de mãos, pernas e bocas atadas e lacradas. E seus adversários se não arranjarem um contra-ataque correm o risco de ficarem a ver navios, sozinhos, sem nenhuma aliança partidária. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo, o prazo é dia 5 de agosto (que pode virar uma sexta-feira (13).

FHC palestra em Vitória

No dia 22 de agosto será realizada a segunda edição do Fórum IEL de Gestão, evento nasceu em 2017 e que reúne as principais lideranças empresariais e de instituições de apoio ao desenvolvimento econômico e social do Espírito Santo. Com o tema Propósito e Pessoas Construindo Resultados, o evento acontece no Itamaraty Hall, junto com o lançamento do Anuário IEL 200 Maiores e Melhores Empresas do ES.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é o palestrante no Painel “Qual o Propósito de um País?”. Já no Painel Cenário Econômico, os convidados são Luís Carlos Mendonça de Barros e Marcelo Saintive. Rubens Menin, presidente do Conselho de Administração e sócio fundador da MRV, e Miguel Fonseca, vice-presidente executivo da Toyota do Brasil falam no Painel Propósito. E, encerrando a programação de palestras e debates, falam Daniel Gonzaga, diretor global de Inovação de Produtos da Natura e Sandra Barquilha, diretora de RH da  3M do Brasil Ltda.

“Meus seis anos”

Quando comecei a estudar, em 1958, no grupo escolar Aristides Freire, em Colatina, norte do Estado, estava com seis anos, pois era permitido àqueles que iriam completar 7 anos naquele ano.  Ao ler essa matéria do Supremo Tribunal Federal – STF – que decidiu que é constitucional o limite etário de seis anos para ingresso no ensino fundamental, veio-me na memória esta situação. Os ministros fixaram, por maioria, que as seis primaveras precisam estar completas no início do outono, mais precisamente em 31 de março, conforme prevê resolução do MEC. Eu fiz 7 anos em agosto de 1951 e por isso iniciei o ensino fundamental com seis anos.

Oxalá

Quarta-feira passada,  no STF, com uma série de listas, foram julgadas 75 ações nas duas sessões plenárias. Os números não foram olvidados pelo ministro Marco Aurélio, que ao final consignou: “Que sigamos nessa trajetória com a otimização do tempo”.

Controle de constitucionalidade

Em alvissareira decisão monocrática, ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal – STF reconhece a legitimidade ativa de associação de gays, lésbicas e transgêneros para propor ação de controle de constitucionalidade. Superando jurisprudência do STF, ministro amplia conceito de “entidade de classe”, antes restrito a entidades econômicas ou profissionais, as quais têm legitimidade para propor tais ações, entendendo que o controle concentrado deve ser aberto à sociedade civil, aos grupos minoritários e vulneráveis.

Nome social

Escolas particulares do Estado de  Santa Catarina devem reconhecer uso de nome social por alunos. Decisão é da 3ª turma do Tribunal Regional Federal -TRF da 4ª região.

Extra petista I

Mesmo negando pedido que pretendia carimbar previamente a inelegibilidade de Lula, ministro Luiz Fux, do  Supremo Tribunal Federal – STF não se conteve e adiantou seu posicionamento contrário ao registro da candidatura do ex-presidente. Todavia, é bem o momento de esclarecer que o ministro Fux nem sequer será o julgador do caso no momento correto, qual seja, depois do pedido formal de inscrição, uma vez que terá encerrado seu mandato na Corte eleitoral.

Extra petista II

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o pedido da defesa do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para que o ministro reconsiderasse sua decisão liminar que manteve a ação penal do sítio de Atibaia nas mãos do juiz Sergio Moro.

Meirelles vem aí

Com dinheiro do próprio bolso, e no staff um dos publicitários mais celebrados da atualidade, Chico Mendez, o MDB oficializou ontem o nome de do ex-ministro do Temer, Henrique Meirelles como candidato à presidência da República. Meirelles vem ai deve ser o tom da campanha. Já vi este slogan

Sem filiação

A Associação Nacional dos Procuradores da República ajuizou ADIn no Supremo Tribunal Federal – STF contra a redação dada pela EC 45/04 que impede procuradores e promotores de se filiar a partidos políticos e disputar eleições. A ANPR pede cautelarmente que o Supremo autorize procuradores e promotores a participarem das eleições deste ano. Para isso, bastariam se licenciar dos cargos. Segundo a Associação, o vício de inconstitucionalidade restou consubstanciado com a exclusão, pela sobredita EC, da expressão “salvo exceções previstas na lei”, o que deu azo a interpretações no sentido de não mais permitir aos membros do MP o exercício de atividade político-partidária, em qualquer hipótese. O escritório Mudrovitsch Advogados representa a ANPR no caso. O relator é o ministro Marco Aurélio. (ADI 5.985)