publicidade

Capitão Assumção é um dos membros da Comissão de Segurança. “Se não tratarmos com muito respeito os trabalhadores da Segurança Pública, nenhum equipamento será suficiente para garantir a segurança das pessoas”, frisou. 

A Comissão de Segurança e Combate ao Crime Organizado inaugurou os trabalhos da nova legislatura, em reunião ordinária nesta segunda-feira (11). O novo presidente do colegiado, Delegado Danilo Bahiense (PSL), fez discurso de abertura traçando um panorama da atual situação da segurança pública no Estado.

Bahiense destacou os principais gargalos do Espírito Santo e frisou as carências da área, principalmente a falta de efetivo policial. “Nossa policia técnica está totalmente defasada. Em 1990, tínhamos 316 peritos. Passados 29 anos, temos apenas 80”, exemplificou.

Ele também falou sobre o poder de influência das facções criminosas, principalmente nas regiões mais carentes da Grande Vitória. E alertou que as classes média e alta capixabas financiam o tráfico de drogas e a morte de muitos jovens nas comunidades.

Composição histórica

O vice-presidente da comissão e colega de partido, Coronel Quintino, disse que a nova composição do colegiado tem significado “histórico e simbólico”, com a presença de Bahiense, com 33 anos de serviço prestado à Polícia Civil, e dele próprio, com 30 anos de Polícia Militar. “Estamos capacitados para fazer uma excelente gestão”, disse.

O Delegado Lorenzo Pazolini (PRP) também aproveitou a oportunidade para discursar sobre os problemas da segurança: “A segurança pública é o grande calcanhar de aquiles do gestor  público brasileiro. O pai de família não aguenta mais sair de casa sem saber se vai retornar. Se sua filha ou sua esposa serão vítimas de um molestador”, disse.

A reunião inaugural da comissão foi prestigiada por dois secretários de Estado: o de Segurança Pública, Roberto Sá; e o de Justiça, Luiz Carlos Cruz. O chefe da pasta de Segurança disse que a prioridade do governo Casagrande (PSB) será a preservação da vida. “A violência urbana é uma chaga da sociedade. No Brasil, é uma epidemia que mata 60 mil pessoas por ano”, frisou. Já o secretário de Justiça falou sobre a necessidade de resgate de políticas públicas.

Também participaram da reunião o chefe da Polícia Civil, José Darcy Santos Arruda; o comandante-geral da PM, Coronel Barreto; e o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Coronel Cerqueira; além de representantes de sindicatos e associações. Os membros efetivos do colegiado Euclério Sampaio (DC), Capitão Assumção (PSL), Enivaldo dos Anjos (PSD), Dr. Emílio Mameri (PSDB) e Luciano Machado (PV) também estiveram presentes.

A próxima reunião ordinária da Comissão de Segurança está agendada para o próximo dia 25, às 11 horas, no Plenário Dirceu Cardoso.

 

Deputado Capitão Assumção é um dos membros da Comissão de Segurança. “Se não tratarmos com muito respeito os trabalhadores da Segurança Pública, nenhum equipamento será suficiente para garantir a segurança das pessoas”, frisou. Foto: Ellen Campanharo
publicidade