Em projeto, Marcos Garcia defende preferência em atendimento para exames que exijam “jejum total”

As pessoas com diabetes mellitus poderão ter atendimento prioritário na realização de exames que exijam “jejum total”, caso o Projeto de Lei  (PL) 720/2019, do deputado Marcos Garcia (PV) seja aprovado.  A prioridade abrange hospitais, clínicas, postos de saúde e de coleta de sangue.

De acordo com o PL, o tratamento dispensado aos diabéticos deverá ser compatível ao prestado a idosos, gestantes e deficientes físicos.  Além disso, o usuário deverá comprovar a condição mediante laudo medico.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

Conforme o Ministério da Saúde, pessoas que convivem com o diabetes mellitus possuem níveis de açúcar mais elevados devido à produção insuficiente de insulina pelo organismo.

Nesses casos, segundo o Ministério, o risco é maior, porque, segundo especialistas, a glicose pode subir de forma súbita e exagerada, causando diversos males, inclusive taquicardia e alteração do nível de consciência, crises convulsivas e coma, que podem, inclusive, levar à morte.

Para justificar a matéria, o deputado alega que o diabetes mellitus é um dos mais perigosos e que há inúmeros relatos de pessoas sobre o tratamento dispensado pelos estabelecimentos de saúde, que não observam esse fator em pessoas que aguardam a coleta de material.

“A condição física desses pacientes não é considerada nessas situações, o que representa verdadeiro risco à saúde dessa parcela da população. Alguns pacientes atingem altos níveis de hipoglicemia por ter de aguardar longos períodos em jejum e passam a sofrer alguns dos efeitos físicos dela decorrentes”, relatou.

Tramitação 

A matéria foi lida na sessão ordinária do dia 3 de setembro e encaminhada para análise das comissões de Justiça, Saúde e Finanças. Se a norma for aprovada, passará a valer na data de sua publicação em diário oficial.