O presidente da federação capixaba, Léo de Castro, destacou como entraves para o desenvolvimento o deficit nas rodovias, a burocracia e o desemprego

“O Espírito Santo tem o pior desempenho no cenário industrial com relação ao país”. A afirmação preocupante é do presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Léo de Castro, que participou de uma reunião de integração com o Legislativo nesta terça-feira (14). Ele destacou o alto número de desemprego, a burocracia e o deficitnas rodovias estaduais como elementos desafiantes para a indústria capixaba.

O baixo crescimento do PIB brasileiro, apenas 0,5% desde 2014, demonstra, nas palavras do presidente, o cenário de grande dificuldade pelo qual as indústrias estão passando.

“O país tem mais de 13 milhões de desempregados. No Espírito Santo são mais de 300 mil capixabas nessa situação. Emprego é dignidade. Nós acreditávamos que 2019 seria um ano melhor. Até o momento os indicadores do país permanecem desanimadores. E temos de lembrar que, nesse momento, a população depende mais ainda dos governos e das políticas públicas. E, claro, cobra mais”, registrou.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

Confira as fotos da reunião com a Findes

Infraestrutura

Castro também afirmou que as dificuldades das grandes empresas refletem, como uma cadeia, nas médias e pequenas empresas. Na indústria, são 18 mil instaladas no Espírito Santo. “As indústrias precisam de um ambiente propício para os negócios. Precisamos de simplificação para empreender.

Regras claras. E não estou falando de regras frouxas. Além disso, uma infraestrutura que impulsione os negócios. Temos um deficit em rodovias estaduais. Tínhamos um deficit aeroportuário que melhorou bastante com o novo aeroporto, mas ainda precisamos da regionalização desse transporte, com polos em Colatina e Linhares”.

Infra

Além da burocracia e do deficit na malha rodoviária, Castro apontou outro desafio a ser enfrentado pelo setor: “O crescimento da indústria depende de um cenário próspero e voltado para a inovação e tecnologia. O Brasil, atualmente, está no 80° lugar no ranking mundial de competitividade. E só vamos nos tornar mais competitivos com investimento em tecnologia”, ressaltou o presidente da Findes.

Legislativo

O encontro foi organizado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Erick Musso (PRB), que destacou a necessidade de estabelecer um diálogo permanente com a federação, especialmente em torno das propostas legislativas que tramitam na Assembleia Legislativa.

“Temos uma pauta constante sobre assuntos que interferem no cenário industrial. No ano passado, por exemplo, votamos projetos sobre ICMS em diferentes setores. Além das matérias para criação de fundos de recursos e também para simplificar os processos burocráticos. A Assembleia Legislativa e a Findes precisam manter esse canal de diálogo para que essas propostas legislativas possam, de fato, ajudar a impulsionar esse setor e, por consequência, a economia capixaba”, destacou Erick Musso.

A reunião contou com a presença dos deputados Freitas (PSB), Torino Marques (PSL), Luciano Machado (PV), Capitão Assumção (PSL), Delegado Lorenzo Pazolini (sem partido), Janete de Sá (PMN), Hudson Leal (PRB), Dr. Hércules (MDB), Carlos Von (Avante), Delegado Danilo Bahiense (PSL), Pastor Marcos Mansur (PSDB), Emilio Mameri (PSDB), Adilson Espindula (PTB), Raquel Lessa (Pros) e Alexandre Xambinho (Rede).  Fonte: Ales