O Espírito Santo é o primeiro estado no Sudeste em atingir a cobertura vacinal e o quarto no ranking de estados do Brasil

A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza termina oficialmente nesta sexta-feira (31) em todos os municípios do Espírito Santo e a meta de vacinar pelo menos 90% do público-alvo, conforme recomenda o Ministério da Saúde, foi superada pelo Estado. Até o momento, foram vacinadas 961.792 pessoas do grupo prioritário, representando 91,29%.

O Espírito Santo é o primeiro estado no Sudeste em atingir a cobertura vacinal e o quarto no ranking de estados do Brasil. Dos 78 municípios do estado, 64 atingiram a meta.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações, Danielle Grillo, ressalta que o valor é parcial, uma vez que as ações continuaram ao longo do dia e ainda haverá a atualização dos dados pelos municípios.

“O contexto de adesão da população capixaba foi satisfatório. Ainda são dados preliminares da campanha. Agradecemos à parceria das equipes municipais pela dedicação e desempenho na campanha de Vacinação contra a Gripe”, disse a coordenadora.

Segundo Danielle, embora oficialmente as ações tenham se encerrado nesta sexta (31), os municípios de Cariacica e Serra terão ações nesse sábado (01). “Os municípios de Cariacica e Serra farão a última ação para os grupos prioritários neste sábado (1º) ”, informou.

A coordenadora explicou que a partir de segunda-feira (03), a vacinação será aberta para toda a população com as doses remanescentes. Mas ressalta que a oferta acontece apenas enquanto durar o estoque. “São doses de municípios que atingiram a meta e possuem doses extras. Os estoques dos munícipios são pequenos, devido as altas coberturas vacinais”, explicou.

Dados da cobertura vacinal

Para a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza deste ano, foram estabelecidos como grupo prioritário Crianças, gestantes, trabalhador de saúde, puérperas, indígenas, idosos, professores, comorbidades, população privada de liberdade, funcionários do Sistema Prisional, Policiais Civis, Militares, Bombeiros e membros ativos das Forças Armadas

Para os indígenas, a cobertura, até o momento está em 110,72%; para os idosos, 104,85%; para os professores, 101,14%; para população privada de liberdade, 97,55%; puérperas, 92,04%; funcionários do sistema prisional, 90,46%; trabalhador de saúde, 84,77%; crianças, 83,82%; comorbidades, 82,97%; gestantes, 74,15%; e Policiais Civis, Militares, Bombeiros e membros ativos das Forças Armadas, 40,38%.

Danielle ressalta que a cobertura não é homogênea por grupos prioritários. Em relação ao grupo de Policiais Civis, Militares, Bombeiros e membros ativos das Forças Armadas, ela explica que “o grupo não estava previsto para campanha de vacinação e foi incluído duas semanas após o início da campanha, por isso a baixa adesão”.