conteúdo publicitário

O Espírito Santo tem também, desde 2009, a Rede Manual de Monitoramento de Poeira Sedimentável (RMPS)

O Espírito Santo é o primeiro estado a integrar o Sistema Nacional de Monitoramento da Qualidade do Ar, o MonitorAr, desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). A plataforma, que reúne os dados do monitoramento da qualidade do ar dos estados brasileiros, foi lançada nesta sexta-feira (13), em Vitória, e está disponível para download nas lojas de aplicativo dos celulares.

conteúdo publicitário

A capital capixaba foi escolhida para o lançamento do MonitorAr, justamente pelo fato de as estações de monitoramento do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) terem sido as primeiras a integrar os dados produzidos com  plataforma nacional, ainda em fase-piloto. Além disso, o Iema, por meio da Coordenação de Qualidade do Ar e Áreas Contaminadas (CQA), prestou apoio técnico para que Minas Gerais integrasse também os dados.

“É muito importante termos transparência nas informações de monitoramento do ar, pois, além de direcionarem as ações de gerenciamento da qualidade do ar, influenciam diretamente na qualidade de vida e na saúde das pessoas”, ressaltou o diretor-presidente do Iema, Alaimar Fiuza.

O Iema ofereceu ainda auxílio técnico para o desenvolvimento do material didático destinado à elaboração de um curso na modalidade Ensino a Distância (EaD) em gestão da qualidade do ar, capacitação realizada pelo Ministério do Meio Ambiente, voltada para os técnicos dos órgãos ambientais que ainda não tinham conhecimento na área.

Visando à gestão da qualidade do ar, desde 2000, o Espírito Santo implantou a Rede Automática de Monitoramento Automático da Qualidade do Ar (RAMQAr). Com gestão da CQA do Iema, a rede tem o objetivo de medir, em tempo real, o nível dos principais poluentes atmosféricos previstos na legislação vigente.

O modelo adotado pelo Estado na gestão da qualidade do ar possibilitou a implantação e operação de rede própria de monitoramento, especialmente nos locais de maior densidade de atividades industriais, residenciais e comerciais, como é a realidade da Grande Vitória. O Iema ainda faz a gestão de redes de monitoramento nas regiões sul e norte do Estado.

Atualmente, o Estado está entre as poucas unidades federativas que mantêm este tipo de monitoramento, contando até mesmo com aplicativo ES na Palma da Mão, para disponibilização dos índices de qualidade do ar, em tempo real.

Além disso, o Espírito Santo tem também, desde 2009, a Rede Manual de Monitoramento de Poeira Sedimentável (RMPS). Todos os dados sobre o monitoramento da qualidade do ar no Espírito Santo estão disponíveis em: https://iema.es.gov.br/qualidadedoar