conteúdo publicitário

Maior produtor e exportador brasileiro, o Espírito Santo registrou alta, de janeiro a agosto deste ano

Acompanhando o movimento do país, o Espírito Santo manteve sua liderança como maior exportador do Brasil, em agosto, concentrando aproximadamente 84,7% do valor das vendas ao exterior. O Estado registrou US$ 118,4 milhões de faturamento, conforme dados divulgados esta semana pelo Sindicato da Indústria de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários do Espírito Santo (Sindirochas) em parceria com o Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas).

conteúdo publicitário

Maior produtor e exportador brasileiro, o Espírito Santo registrou alta, de janeiro a agosto deste ano, de 39,84% em valor e 9,20% em peso, se comparado com o mesmo período do ano passado, mostrando um crescimento orgânico em valor agregado dos materiais exportados de 28,06% no preço médio. De todo montante exportado pelos capixabas no mês, 75% tiveram os Estados Unidos como destino. O país é um dos oito mercados prioritários para atuação do It’s Natural – Brazilian Natural Stone, projeto resultante do convênio setorial firmado entre o Centrorochas e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) com o objetivo de ampliar as exportações das rochas ornamentais brasileiras no mercado internacional.

Minas Gerais vem na sequência como segundo maior representante brasileiro do setor, concentrando aproximadamente 7,6% das exportações, elevando ainda mais a força as ardósias brasileiras nos mercados do Reino Unido, norte-americano, alemão e francês.

Exportações nacionais

O setor de rochas ornamentais brasileiro, no término do segundo quadrimestre de 2021, fechou as exportações com evolução de 39,34%, em comparação ao mesmo período do ano passado, acumulando em vendas diretas U$S 831,8 milhões e 1.568 mil toneladas de embarcados.

Destaque para as vendas de blocos de mármores e similares, chapas e outras peças de mármores crescendo frente ao ano anterior, respectivamente, 78,86% e 51,42%, no acumulado do ano, mostrando um aumento pela demanda internacional destes materiais. Em agosto, os Estados Unidos permaneceram na liderança dos destinos mais frequentes dos produtos brasileiros, respondendo por aproximadamente 50,6% das exportações.

Segundo dados do Relatório de Estatísticas de Comércio Exterior, do Ministério da Economia, o porto mais utilizado para escoamento dos materiais beneficiados em agosto foi o do Rio de Janeiro (110,3 mil toneladas) representando 76% de todo material enviado ao mercado internacional, seguido pelo Porto de Santos, responsável por 15% e 21,37 mil toneladas do total. Já o Porto de Vitória, no Espírito Santo, foi responsável por 65% do embarque dos materiais brutos, acumulando em 42,57 mil toneladas de rochas naturais, enquanto Fortaleza escoou 14% do total e 9,4 mil toneladas.