Nesses dois dias de reuniões do eixo de saúde serão debatidas as estratégias para ampliar o acesso e o provimento de profissionais

Teve início na manhã desta segunda-feira (04) o workshop “Atenção Primária à Saúde – os desafios da APS como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde”, do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud).

O evento vai até esta terça-feira (05) e acontece por meio da Secretaria da Saúde (Sesa). O workshop conta com a presença de representantes dos sete estados que compõe o Cosud, que se reúnem no auditório da Escola Técnica de Saúde (Etsus), na Ilha de Santa Maria, em Vitória.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

Em sua fala, o secretário Nésio Fernandes enalteceu o Cosud, que em pouco tempo conseguiu organizar espaços de discussão como este.

“O consórcio dá certo quando ele consegue, tão rapidamente, organizar espaços, fóruns e oficinas para poder qualificar também as nossas percepções dos grandes temas da saúde pública brasileira. Quando colocaram em pauta a Atenção Primária em Saúde em reuniões no Cosud, construímos a intenção de realizar esse espaço no Estado do Espírito Santo e de poder compartilhar boas experiências, percepções e desafios comuns aos estados de entenderem no processo e apoiarem a APS”, disse o secretário.

A diretora de Ações em Saúde da Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul, Ana Lúcia Costa, veio representando a secretária de Estado da Saúde, Arita Bergmann, pontuou a importância do evento como “a união do grupo para conversar sobre alternativas, melhorias e construções coletivas do Ssistema Único de Saúde”.

“Estamos aqui para aprender com todos vocês, e também para contribuir, e sair com orientações, medidas e possibilidades olhando para atenção primária como a ordenadora do cuidado. É preciso que uma boa atenção primária mova as pessoas no sentido que a atenção ambulatorial e secundária seja usada tão somente quando necessária. Justamente para termos condições de fazer valer todos os nossos recursos para efetivamente o que o usuário precisa”, falou Ana Lúcia.

Participaram da abertura o presidente do Conselho Estadual de Saúde do Espírito Santo, Luiz Carlos Reblin; o superintendente do Ministério da Saúde no Espírito Santo, Barolomeu Lima; e a secretaria Municipal de Saúde de Vitória, Cátia Cristina Vieira Lisboa. Estiveram presentes também os subsecretários de saúde Gleikson Barbosa, Rafael Grossi e Tadeu Marino, e o superintendente de saúde, José Maria Justo.

Os desafios da APS e o papel do Estado em seu fortalecimento

Pela manhã, o secretário Nésio Fernandes ministrou o primeiro painel do dia, sobre “Os desafios da APS como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde”.

“A atenção básica não é só para fazer a prevenção naquele conceito da promoção da saúde. A atenção primária não pode ser básica, precisa ser ampla, integral e resolutiva”, explicou Nésio Fernandes.

O secretário abordou também a complexidade de transformar a APS em ordenadora da Rede, que é preciso ser trabalhada como política de Estado. “A complexidade em transformar a atenção primária como coordenadora do cuidado e ordenadora da Rede obriga que não existam soluções únicas. Tem que de fato construir soluções para a rede inteira e nas diversas faces”, falou.

No painel seguinte, o representante do Ministério da Saúde, o diretor do Departamento de Saúde da Família, Otávio D’Avila, falou sobre “O papel do Estado no fortalecimento da APS”.

Em sua fala, Otávio pontuou que o fortalecimento passa por desenvolver políticas as que sejam centradas nas pessoas, com base no fortalecimento dos atributos.

“Mas também trazendo transparência, flexibilidade e autonomia para que o gestor possa montar o seu modelo de APS com base no que deu certo no mundo e no Brasil, porém, respeitando as características locais”, disse o representante do Ministério da Saúde.

À tarde, os participantes foram divididos em grupos e participaram de oficinas que abordaram temáticas como financiamento da APS; avaliação APS – ferramentas e indicadores; assistência farmacêutica; integração com a média complexidade (planificação); e integração com a vigilância em saúde.

Workshop “Atenção Primária à Saúde – os desafios da APS como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde”

Criado em março de 2019, o Consórcio de integração Sul e Sudeste (Cosud) reúne os governos do Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O Cosud é um ambiente de discussões e entendimentos sobre diversos temas, incluindo a saúde pública.

O workshop “Atenção Primária à Saúde – os desafios da APS como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde” é uma das ações oriundas das reuniões do Cosud ao longo deste ano.

Nesses dois dias de reuniões do eixo de saúde serão debatidas as estratégias para ampliar o acesso e o provimento de profissionais. A educação permanente como eixo estruturante da organização do trabalho em saúde, os desafios da APS como ordenadora da rede de atenção à saúde e o papel do Estado no fortalecimento da atenção primária à saúde.

Programação:

Segunda-feira (04/11):

9h45 – Painel: “Os desafios da APS como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde”

10h30 – Painel: “O papel do Estado no Fortalecimento da APS”;

14h às 16h – Metodologia: café mundial

1° grupo: financiamento da APS e a assistência farmacêutica;

2° grupo: avaliação APS – ferramentas e indicadores

3° grupo: integração com a média complexidade (planificação) e a integração com a vigilância em saúde.

Terça-feira (05/11):

9h – Painel: “Estratégias para ampliação do acesso, provimento e fixação de profissionais”

10h – Painel: “Educação permanente como eixo estruturante da organização do trabalho em saúde”

11h – Troca de experiências dos Estados consorciados;

12h – intervalo para almoço

15h30 – Troca de experiências dos Estados consorciados;

16h – Grupos de Estudo;

16h30 – Apresentação dos relatórios dos grupos de trabalho, encaminhamentos e agradecimentos.

Serviço:

Workshop “Atenção Primária à Saúde – os desafios da APS como ordenadora da rede de atenção à saúde”, do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud)

Dias: 04 e 05/11 (segunda-feira e terça-feira)

Horário: 08h às 18h

Local: Auditório da Escola Técnica de Saúde (Etsus), Rua Maria de Lourdes Garcia, 474, Ilha de Santa Maria, Vitória.