conteúdo publicitário

Nesta eleição é a segunda vez que Fernanda é proibida de fazer a divulgação de pesquisa eleitoral, por descumprimento da lei eleitoral

O TRE/ES reformou a decisão proferida pelo Juiz de Boa Esperança e deferiu a liminar pleiteada pelo advogado da campanha de Cláudio Boa Fruta (DEM).

conteúdo publicitário

Assim, mais uma pesquisa eleitoral encomendada por Romualdo Milanese em favor de sua esposa, está impugnada pela Justiça Eleitoral, desta vez, a pesquisa realizada pelo Instituto IPOPES, cujo seu representante é também o responsável pelas publicações do jornal Bananalonline.

Na decisão, o magistrado alegou que “Após consulta à pesquisa nº ES-03788/2020 no Sistema de Pesquisas Eleitorais (PesqEle), possível confirmar a ausência da complementação quanto ao número de eleitores entrevistados por setor censitário (bairro ou área), de modo que a consideração da pesquisa como não registrada e a suspensão de sua divulgação é medida que se impõe…
… Face ao exposto, em análise sumária do feito, verifico a demonstração clara dos requisitos do perigo da demora e da fumaça do bom direito.
Assim sendo, DEFIRO A LIMINAR pleiteada.”

Segunda proibição
Nesta eleição é a segunda vez que Fernanda é proibida de fazer a divulgação de pesquisa eleitoral, por descumprimento da lei eleitoral.

No dia 20/07, a Justiça Eleitoral proibiu a veiculação da pesquisa de opinião pública nº ES-07052/2020. realizada pelo Instituto de Pesquisas Perfil, devido a irregularidades na inscrição do estatístico.

DECISÃO – TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESPÍRITO SANTO

Leia também

Juiz proíbe divulgação de “pesquisa fraudulenta” de Fernanda Milanese e aplica multa de R$ 5 mil por dia por descumprimento