No almoxarifado da Sesa, há caixas que guardam cerca 1,7 milhão de seringas que serão utilizadas no início da imunização contra a covid-19 no Espírito Santo

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) rebateu as informações passadas pelo Ministério da Saúde, ao Supremo Tribunal Federal (STF), de que o Espírito Santo seria um dos estados que não teriam estoque suficiente de agulhas e seringas para concluir as primeiras fases da vacinação contra a covid-19.

conteúdo publicitário

A Sesa permitiu, nesta quinta-feira (14), que a reportagem da TV Vitória/Record TV tivesse acesso ao almoxarifado do setor de imunização da secretaria, em Bento Ferreira, Vitória, para mostrar o estoque que o governo federal alegou que o Estado não tem. No local, há caixas que guardam cerca 1,7 milhão de seringas que serão utilizadas no início da imunização contra a covid-19 no Espírito Santo.

A Secretaria Estadual de Saúde garantiu ainda que mais seringas já foram adquiridas e devem chegar ao Espírito Santo nos próximos dias. “Já no ano passado finalizamos a compra de 6 milhões de seringas adicionais àquelas que já existiam no Estado, que parte delas pode ser utilizada tanto para covid, como também para outras doenças. Tínhamos um estoque de 1,7 milhões e compramos mais 6 milhões de seringas”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes.

“Temos um novo processo já aberto, com mais 10 milhões de seringas a serem compradas, e ainda temos um saldo em ata, num processo aqui na Sesa, de mais 4 milhões de seringas. Então o Estado tem condições plenas de garantir a imunização da população capixaba. Necessitamos das vacinas”, completou.

Requisição

Em ofício enviado ao STF, o Ministério da Saúde afirmou que sete estados brasileiros, entre eles o Espírito Santo, não têm estoque suficiente de agulhas e seringas para concluir as primeiras fases da vacinação.

A declaração veio depois de o governo capixaba entrar, no início desta semana, com uma ação no Supremo para impedir que a União se aproprie, por meio de requisição administrativa, de seringas já compradas pelo Estado.

O secretário de Saúde disse não acreditar em retaliação por parte do governo federal. “Em hipótese alguma. Nós acreditamos que houve uma falha da área técnica do Ministério da Saúde, que deve ter recebido alguma solicitação, algum pedido de informação, por parte da Advocacia Geral da União (AGU), no que diz respeito a elementos para defesa do governo federal na ação. Mas que, de fato, a informação não se sustenta com fatos, com documentos, com provas, com imagens, com nosso saldo de compras de seringas. De fato, o Estado do Espírito Santo está preparado e não acreditamos que a República se veria envolvida numa retaliação do Ministério da Saúde em relação a qualquer Estado”, frisou.

Nésio Fernandes também garante que o Espírito Santo está preparado para iniciar a imunização da população. “Nós temos estoques de seringas suficientes para poder garantir a imunização de toda população de nosso Estado com o estoque atual, mais a compra já finalizada no ano passado. O Estado tem plenas condições, só necessitamos das vacinas. O governo federal já anunciou a decisão importante de incorporar a vacina da CoronaVac e da AstraZeneca e, assim que elas estiverem disponíveis, o povo capixaba começará a ser imunizado”, disse.

O secretário afirmou ainda que espera que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorize o uso emergencial das vacinas contra a covid-19. A previsão é de que a decisão da agência seja anunciada no próximo domingo (17).

“Todos aguardamos ansiosamente a manifestação da Anvisa, que deve ocorrer neste final de semana, autorizando o uso da vacina CoronaVac e da AstraZeneca pelo PNI (Plano Nacional de Imunização), e que, de maneira igualitária, seja distribuída por todo o país, iniciando pelos grupos prioritários já definidos e anunciados. Assim que as vacinas chegarem, em menos de 48 horas nós conseguimos fazê-las chegarem nos municípios e iniciar o processo de vacinação”, destacou Nésio Fernandes.

A produção da TV Vitória questionou ao Ministério da Saúde por que o órgão informou ao STF que o Espírito Santo não tem seringas suficientes para começar a imunização. No entanto, não houve retorno até o momento.

 

Informações

Após o STF ser notificado pelo Ministério da Saúde, sobre os estados que não teriam insumos suficientes para iniciar a vacinação, o ministro do Supremo Ricardo Lewandowski determinou que o Distrito Federal e os 26 estados do País informem ao tribunal o volume de seringas e agulhas que possuem em seus estoques para a vacinação contra o novo coronavírus.

Lewandowski quer que os entes da Federação informem qual a quantidade de agulhas e seringas que possuem em seus estoques, discriminando o número daquelas que estão destinadas à execução do Plano Nacional de Vacinação; ao atendimento das ações ordinárias de saúde pública local; e à participação no recente Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.

Além do Espírito Santo, o Ministério da Saúde apontou que Acre, Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina “não teriam estoque suficiente” para suprir demanda inicial, caso houvesse disponibilidade imediata de 30 milhões de doses da vacina.

Em reunião com prefeitos de todo o País, nesta quinta-feira, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a vacinação contra a covid-19 começará no próximo dia 20, às 10 horas, em todo o Brasil, se a Anvisa der o aval para o uso emergencial de imunizantes.

Com informações da repórter Luana Damasceno, da TV Vitória/Record TV, e do Estadão Conteúdo – Fonte: Folha Vitória