Único fato novo de certo impacto é o apoio do chamado Centrão ao candidato Geraldo Alckmin. Foto: divulgação

Por Paulo César Dutra . e-mail: dutra7099@gmail.com

 

Será que há alguma luz no fim do túnel eleitoral? A essa altura, a pouco mais de dois meses das eleições, o único fato novo de certo impacto é o apoio do chamado Centrão ao candidato Geraldo Alckmin. Que terá quase cinco minutos no tempo da programação eleitoral. Essa parceria poderá alavancar a performance eleitoral de Alckmin? A lógica responde com um sim. Sob a ressalva: a resposta abriga também um não.

Explicando a luzinha

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

A resposta com sim se ancora em três hipóteses: a) o eleitorado indefinido – que está na faixa dos 45% – começará a descer do muro e, composto por fortes contingentes de classes médias, poderá provocar a “onda racional”, mais voltada para a escolha de um candidato do meio do arco ideológico; b) a performance de Lula não ocorrerá porque acabará sendo vetado pelas Cortes (STJ ou TSE); c) a performance de Bolsonaro murchará ante seu evidente despreparo.

1ª hipótese

As classes médias conservam o poder de fazer circular seu ideário para cima e para baixo da pirâmide social. Podem ser comparadas à pedra jogada no meio do lago; ondas se formam, correndo até as margens. As classes médias abrigam os grupos com tuba de ressonância mais forte. As classes menos desenvolvidas politicamente tendem a escolher perfis populistas.

Lula e Bolsonaro vestem esse figurino. Se a performance de Bolsonaro começar a murchar, é previsível que parcela considerável das massas abandone seu território. Sob forte peso da opinião formada no meio da pirâmide.

2ª hipótese

A estratégia do PT, de sustentar o nome de Lula até a data final da decisão do TSE – 17 de setembro -, prejudicará a formação de parcerias, mas pode vir a alavancar o substituto de Lula. Este nome, ao que tudo indica, será o de Fernando Haddad. Jaques Wagner, mais político, prefere contar com a quase certeza de vitória para o Senado, na Bahia.

Haddad, sob o clima emotivo expandido pela militância petista, terá condições de subir a um patamar entre 15% e 20%. Nesse caso, não está fora do jogo eleitoral, podendo disputar o segundo turno. Lula, com suas cartas e recados, será o grande eleitor do PT.

3ª hipótese

A performance de Bolsonaro será vista por eleitores de todos os quadrantes. Ver-se-á uma figura comum, sem brilho, expressando um discurso duro contra a bandidagem, defendendo o porte de armas, fazendo loas ao liberalismo e fugindo de perguntas provocadoras. Foi o que se viu, segunda-feira, no programa Roda Viva, da TV Cultura. Não se viu brilho ou tirada inteligente. Apareceu uma figura cheia de cacoetes linguísticos, uma expressão pobre, justificando os tempos de chumbo vividos pelo país. Para todas as perguntas de caráter programático, vinham respostas emolduradas pelo “achismo”. Mais pareceu conversa de botequim entre opostos tomando uns birinaites.

Tempo eleitoral

O tempo de um candidato na programação eleitoral conta muito. Mas não é sempre que dá certo. Na campanha de 1989, Ulisses Guimarães tinha o maior tempo eleitoral. Ficou para trás. Já o maior tempo de rádio e televisão de toda a história dos pleitos no país, em todos os níveis, foi usado por Quércia, em São Paulo. Candidato ao Senado, em 2002, abusou do espaço dos candidatos a governador, deputado Federal e deputado estadual. Em termos de GRP (Gross Rating Point), que dimensiona o tamanho das inserções publicitárias e a equivalência em termos de audiência, a campanha quercista bateria as campanhas anuais de campeões brasileiros de propaganda.

ALES reaberta

A Assembléia Legislativa do Espírito Santo – ALES reiniciou nesta quarta-feira, dia 1º, os trabalhos parlamentares. Nesta quinta-feira (2), a partir das 19 horas, o deputado Esmael Almeida (PSD) promove solenidade em comemoração aos 60 anos dos Gideões Internacionais no Brasil, associação evangélica dedicada à distribuição de exemplares do Novo Testamento.  Na sexta-feira (3), também às 19 horas, é a vez de a deputada Luzia Toledo (MDB) promover sessão para debater sobre o papel social da Federação Espírita no Estado. Não houve reuniões das comissões parlamentares nesta semana, já que, normalmente, elas se reúnem às segundas e terças-feiras. Mas, a partir de segunda-feira (6), os colegiados temáticos também retornam com as suas atividades rotineiras.

Projeto sobre nascentes

A pedido do autor, deputado Nunes (PT), foi baixado de pauta o Projeto de Lei (PL) 262/2018, que institui o Programa de Proteção às Nascentes, na Assembléia Legislativa do Espírito Santo – ALES. A proposta de Nunes (PT) tramitava em urgência e era o primeiro item da pauta de votações da sessão ordinária de ontem, quarta-feira (1º).

Entre os objetivos da proposta estão recuperar mapear e diagnosticar a situação das nascentes; recuperar a biodiversidade da flora e fauna; e manter e restaurar a mata ciliar. Para possibilitar o cercamento da área em torno da nascente,  matéria prevê a distribuição de um kit nascente contendo arame liso e farpado, mourão de eucalipto tratado, grampo, cavadeira de boca, cavadeira e martelo.

Causa própria

Um projeto de lei, de autoria do deputado Rodrigo Coelho (PDT), apresentando na Assembléia Legislativa do Espírito Santo – ALES ‘pede criação de calendário oficial do Espírito Santo’.  Esse calendário deve conter iniciativas programadas para o período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de cada ano. É que tudo indica que ele seja empossado Conselheiro do Tribunal de Contas do Espírito Santo ainda este ano. Ele já que saber quantos dias vai descansar em 2019!

Condenado por ferir nádegas de menor

Um homem deve indenizar em R$ 4 mil por danos morais um menor do município de Itapemirim, no Sul do Estado, a quem teria ferido nas nádegas, com um ”garruchão”, uma lança de ferro utilizada para atingir o cavalo que o réu montava durante sua condução.

O requerente, representado por sua mãe, afirmou que ao caminhar em direção a sua casa com alguns colegas de escola, jogou uma pedrinha em uma árvore, acidentalmente atingindo o animal em que o réu estava montado. Segundo o menor, o animal não teria se mexido, porém o requerido, em atitude assustadora, o agrediu nas nádegas, lhe causado sangramentos e vergonha. O processo corre na 1º Vara Cível de Itapemirim.

Tarefa árdua

O ministro Dias Toffoli assumirá a presidência do Supremo Tribunal Federal – STF no próximo mês e com isso a responsabilidade de comandar a polêmica pauta do plenário, em uma época na qual a Corte sofre severas críticas justamente sobre o andamento dos trabalhos. Para se ter uma ideia, 25% das sessões no primeiro semestre foram dominadas por assuntos político-criminais. Isso sem falar nas turmas, onde o tema é, seguramente, majoritário. O que podemos esperar pela frente¿

Fim do critério político no TCU

A mudança de critérios na composição dos Tribunais de Contas da União (TCU), dos estados e do Distrito Federal e dos Tribunais e Conselhos de Contas dos Municípios é o que estabelece a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 2/2018, da senadora Rose de Freitas (Pode-ES). A proposta elimina o critério da indicação política para impor ao TCU uma composição majoritária de selecionados em concursos públicos de provas e títulos.