Por Antônio Carlos da Silva

Mesmo faltando pouco mais de um ano para o início do período pré-eleitoral em todo país, algumas estratégias políticas e mudanças de comportamento já podem ser notadas no meio político em Boa Esperança.

Reuniões já são realizadas com pequenos grupos de quatro ou cinco pessoas, tendo como foco principal as possíveis composições da chapa majoritária de 2020.  Sem falar é claro, nos nomes que poderão disputar a vereança no município.  A dificuldade de encontrar mulheres dispostas a participar do pleito continua sendo uma “problemática” para os partidos.

Romualdo candidato!?

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

O ex-prefeito Romualdo Milanese, que está filiado ao partido Solidariedade desde 06 de abril de 2018, conforme confirmação no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não declara publicamente a sua pré-candidatura, entretanto, já é sabido que ele estaria atuando “naturalmente” na formação de um grupo para a sustentação do seu nome como cabeça de chapa ou em outra hipótese para apoiar outro nome, ainda indefinido.

Ex-prefeito de Boa Esperança Romualdo Milanese

Opinião da sociedade

Romualdo afirmou recentemente que ainda não tem nada confirmado, e que está amadurecendo a ideia sobre a sua participação direta no pleito de 2020, levando-se em consideração, segundo ele, que o período se dará no segundo semestre do próximo ano.

Ele disse que pretende ouvir as lideranças políticas e os eleitores para a tomada de sua decisão final.

PRB

Alguns partidos já estariam se articulando em torno do projeto do ex-prefeito Romualdo Milanese, a exemplo do PRB e PT.  Há ainda quem cite outras siglas, como o PSB e até mesmo o PPS, entre outros.

Fique esperto! Perdeu as informações atualizadas sobre os mais diversos assuntos? Clique agora e se atualize com o Portal GN1

Charles na vice

O ex-vereador Charles Faria (PPS) tem buscado uma aproximação com Romualdo, e não esconde o desejo de ser indicado como o vice.

No entanto, como o vice só é definido pelos partidos aliados nos minutos finais da articulação política, e pelo fato de ter muitos outros postulantes ao cargo, essa definição só será conhecida em meados de julho ou agosto do próximo ano.

Sinais

O prefeito Lauro Vieira (PSDB) não declarou publicamente o seu desejo de ser candidato à reeleição, contudo, alguns sinais já são emitidos por meio de emissários, através de algumas ações e de atitudes, de que ele tende a pleitear o cargo mais uma vez.

Também não é oficial, mas ele poderá migrar do PSDB para o PP, partido liderado em nível de Estado pelo ex-deputado federal Marcus Vicente, atualmente secretário de Desenvolvimento Urbano do Governo Casagrande.

Prefeito Lauro Vieira

Sinais II

Boa estratégia, por sinal, levando-se em consideração que o PSDB está iniciando um processo de oposição ao Governo Casagrande e o PP, por outro lado, faz parte da base aliada do governador.

Xavier fica no MDB

O presidente da Câmara Jocemar Xavier assumiu a presidência do MDB, no lugar do vice-prefeito Valdirim, que estava no cargo há vários anos.  O ex-vereador Antonio Milanese é o vice-presidente.

Xavier tinha o propósito de migrar para o partido Novo, entretanto, por diversos motivos decidiu permanecer no MDB, um das siglas mais antigas de Boa Esperança e na qual o seu pai, Zequinha Xavier cumpriu um mandato de vereador.

Presidente da Câmara, Jocemar Xavier. Foto: GN1

Candidatíssimo

Xavier não declara a sua pré-candidatura a prefeito ou vice, entretanto, afirma que não pretende disputar o cargo de vereador em 2020.

PSB no páreo

O PSB tem atuado de forma um tanto cautelosa quanto ao lançamento do “prefeitável” da sigla.  Os nomes do empresário Valdir Turini e do secretário de Esportes Rogério Vieira estão no páreo.

Como em eleições passadas, Valdir tem demonstrado que não teria interesse em disputar cargo eletivo em 2020.

Embalado pelo Governo

Mas pensando que o PSB está no comando do Governo estadual e tem o propósito de eleger prefeitos e vices em quase todos os 78 municípios, Boa Esperança ao que tudo indica não ficará de fora da chapa majoritária.

Se não for no cargo de prefeito, a vice tem tudo para ser reservada para um socialista.  Que no ninho da pomba, ainda está indefinido.

“Batman e Robin”

Nas rodas conversas políticas há quem acredite no retorno da chapa Romualdo e Valdir, e aliás algumas pessoas já apelidaram de “Dupla dinâmica”, fazendo menção ao seriado de TV que destacavam os super heróis “Batman e Robin”.

Os dois venceram juntos as eleições de 2008 (chapa única) e em 2012, com quase 80% de aprovação do eleitorado.

Para os analistas políticos de plantão, essa hipótese não pode ser descartada.  Ainda mais agora com o PSB comandando o Governo do Estado.

A dupla Romualdo e Valdir fizeram história no Espírito Santo com a chapa única em Boa Esperança nas eleições de 2008. Foto: arquivo GN1

De volta ao passado

Somente para relembrar, anos atrás na eleição de 2000 (salvo o engano) o então candidato a vice-prefeito de Amaro Covre, Valdir Turini foi chamado de o “Zé Gotinha da Saúde”, pelo fato de ter sido secretário municipal em Boa Esperança e no ano de 1998, ocupado o cargo de secretário de Estado da Saúde, no Governo de Vitor Buaiz e Renato Casagrande, vice.

Cláudio Boca

Não é novidade as conversas que tem ocorrido entre alguns políticos da cidade com o empresário Cláudio Rodrigues, o Boca, para que ele filie-se ao PSB, e possa disputar como candidato a prefeito ou até mesmo na vice.

O secretário Reginaldo Almeida foi um dos principais apoiadores do vereador Selminho, que talvez não disputará a próxima eleição. Foto: Facebook

Secretários pré-candidatos

Até o momento, já são tidos como certas as pré-candidaturas dos secretários de Desenvolvimento Urbano, Reginaldo Almeida (PP) e de Educação, Sebastião Rocha (PT) ao cargo de vereador na eleição de 2020.

Os secretários de Meio Ambiente, Pedro Dutra (PRB) e de Saúde, Ana Rosa Marin (sem partido), também poderão entrar na disputa, mesmo que essa decisão ainda não tenha sido tomada.

Focada na Saúde

Ana Rosa, por sua vez, declara que não tem essa pretensão em disputar cargo eletivo, e que está focada em administrar os inúmeros desafios da secretaria.

Há mais de um ano ela é assediada para filiar a um partido, caminho obrigatório para a participação no pleito eleitoral.  Os convites tem vindo do MDB, PRB, PSB e até do PT.