Alunos do Colégio Militar em Araguaína, em Tocantins. Foto: divulgação
publicidade

No Brasil a primeira escola militar foi fundado em 1889 com o nome de Imperial colégio Militar

O Deputado Estadual Capitão Assumção apresentou nesta segunda-feira, dia 25, durante sessão ordinária na Assembléia Legislativa uma Indicação parlamentar ao Governo do Estado, solicitando a criação de Colégios Militares no Espírito Santo.  Se aprovada pelo Plenário da Casa, seguirá para avaliação do Governador Renato Casagrande.

Segundo Assumção, hoje, as escolas e colégios militares se tornaram um modelo de sucesso, pois aliam educação de alta qualidade, rendimento escolar a prática de valores cívicos, de cidadania e respeito as instituições públicas, aos pais e familiares e a comunidade de modo geral.

Na justificativa da proposta, o deputado relata que grande parte da criminalidade decorre da falta de acesso à educação. Com a Escola Militar, se busca retirar o jovem desta situação de vulnerabilidade social, fazendo que o mesmo seja um agente multiplicador das boas prática aprendidas na escola, melhorando assim o convívio social e a realidade onde residem.

O projeto cita exemplos de sucesso em vários estados do Brasil, com dados bem importantes: os índices de aprovação social; média superior no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio); aprovação e satisfação dos pais dos alunos, onde viram melhora significativa no rendimento escolar e na própria relação com a família. A exemplo de outros estados, as escola militares seriam desenvolvidas por militares da Polícia Militar do Espírito Santo que contam com excelentes profissionais, professores, mestres em diversas áreas, além claro, da participação de professores civis.

Assumção relata que grande parte da criminalidade decorre da falta de acesso à educação. Foto: Ales

“Precisamos permitir aos pais uma nova opção de educação, baseada principalmente na disciplina e no respeito aos professores, funcionários, idosos e a família”, argumenta o parlamentar.

Assumção faz questão de frisar que não há crítica ao sistema tradicional de ensino, muito menos a outras modalidades inovadoras, como a escola de tempo integral. “O que está se propondo é permitir aos pais uma nova opção de educação, baseada principalmente na disciplina e nos respeito aos professores, mestres e funcionários, idosos, família, enfim toda sociedade.

No Brasil a primeira escola militar foi fundado em 1889 com o nome de Imperial colégio Militar”, salienta.  Ao longo dos anos, a instituição se expandiu e atualmente está presente em diferentes cidades do Brasil. Também passou a ser aberto à sociedade civil e meninas, já que inicialmente as vagas eram reservadas aos estudantes do sexo masculino.

Os Colégios Militares oferecem o ensino fundamental e o ensino médio a alunos e famílias que buscam um modelo educativo caracterizado por sua alta qualidade. A proposta pedagógica das escolas militares tem como objetivo preparar o aluno para a vida em sociedade, formar cidadãos que atuem com ética e cidadania, sendo guiados pelos valores e tradições da educação militar.

As atividades extracurriculares são disponibilizas para complementar o aprendizado e a formação dos estudantes. Além da educação curricular, os alunos tem outras atividades como Instrução Militar, Clubes de Ciências, banda musical, que oferece aulas de diversos instrumentos. Na parte da atividade física são disponibilizadas aulas de capoeira, jiu-jitsu, handebol, voleibol, futebol, futsal, muay thai, rugby, ginástica rítmica, xadrez, entre outras. Todas as atividades são oferecidas de forma gratuita.

O autor da proposta, o deputado Capitão Assumção convida a todos que simpatizam com a ideia a solicitar junto aos seus deputados representantes e ao Governo do Estado a implantação das escolas militares no Espírito Santo, que será mais um instrumento para instruir nossas crianças e jovens e prepara-las para um futuro melhor.

Por Fernando Almança

SAIBA MAIS: 

– Veja o projeto na íntegra. 

publicidade