Militantes tomaram terras no interior de SP, RJ e MT; grupo protesta contra o governo Temer, pela realização de novas eleições e pela reforma agrária

Militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) invadiram nesta terça-feira (25) fazendas do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira e do Coronel Lima, amigo do presidente Michel Temer. Sob o lema “Corruptos, devolvam nossas terras”, o grupo protesta contra o governo e as reformas promovidas pelo Executivo federal, pela reforma agrária e pela realização de novas eleições.

Ainda durante a madrugada, cerca de 800 integrantes do MST tomaram a Fazenda Esmeralda, em Duartina, no interior de São Paulo. As terras pertencem ao Coronel Lima, oficial da reserva da Polícia Militar de SP investigado pela Polícia Federal por supostamente ter recebido R$ 1 milhão da JBS – dinheiro esse que seria destinado a Michel Temer. Esta já é a segunda vez que o movimento social invade a Fazenda Esmeralda  em protesto contra Temer (a primeira foi em maio do ano passado).

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

Já o chefe da pasta da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi , viu uma de suas propriedades invadida por aproximadamente 1 mil famílias do movimento dos sem-terra, também durante a madrugada. A fazenda de Maggi, conhecido no meio empresarial como “Rei da soja”, é sediada na cidade de Rondonópolis, a 210 quilômetros da capital Cuiabá (MT).

Esta já é a segunda vez que o MST invade Fazenda Esmeralda, em Duartina (SP), para protestar contra Temer
divulgação/MST

Esta já é a segunda vez que o MST invade Fazenda Esmeralda, em Duartina (SP), para protestar contra Temer

 

Alvo de pedido de prisão na Espanha , o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol Ricardo Teixeira teve a fazenda Santa Rosa, localizada no município de Piraí, no sul do Rio de Janeiro, invadida por cerca de 350 famílias nesta manhã.

Outras propriedades foram invadidas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra nesta terça-feira, data que marca o Dia do Trabalhador Rural. O MST também agendou uma série de protestos em capitais do País para o decorrer do dia e alega que fará uma “vigília pela Democracia” até o dia 2 de agosto, data em que a admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer deverá ser votada no plenário da Câmara dos Deputados.

Fazenda de Blairo Maggi no MT; chamado de
divulgação/MST

Fazenda de Blairo Maggi no MT; chamado de “Rei da Soja”, ministro já ganhou prêmio ‘Motosserra do ano’ do Greenpeace

Fonte: Último Segundo – iG