Vítimas de acidentes de trânsito agora podem contar com a Banestes Seguros para abrir o processo do seguro DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre). O atendimento começa a partir de 1º de setembro nas lojas da empresa em Vitória, Linhares, Colatina e Cachoeiro de Itapemirim.

- CONTEÚDO PUBLICITÁRIO -

Qualquer pessoa vítima de acidente de trânsito tem direito ao recebimento de indenização pelo Seguro DPVAT, que oferece cobertura para morte, invalidez permanente total ou parcial e de custos médicos hospitalares.

Segundo a gerente de Sinistros e Salvados da Banseg, Maria Serrat Fernandes de Carvalho, a nova política está relacionada a mudanças feitas pela Seguradora Líder, que é responsável pelo DPVAT, e quer ampliar o atendimento dos beneficiários do seguro, que oferece proteção social às vítimas de acidentes de trânsito.

O atendimento nas lojas da Banestes Seguros será presencial, devido à necessidade de apresentação dos documentos exigidos pelo Seguro DPVAT. Esses documentos serão digitalizados na hora e devolvidos ao interessado. O processo passa, então, por análise. No caso de aprovação, a indenização é paga mediante depósito na conta bancária do beneficiado.

Saiba Mais

O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) existe desde 1974, é de caráter social e indeniza vítimas de acidentes de trânsito sem apuração de culpa, seja do motorista, passageiro ou pedestre. O seguro oferece cobertura para três naturezas de danos: morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares.

O caráter social do seguro é dado pelo fato de seus beneficiários não pagarem por ele. Este ônus fica para os proprietários de veículos terrestres – carros, motos etc.

Quem administra o DPVAT é a Seguradora Líder e o seguro é oferecido em todo território nacional. A Banestes Seguros é uma das consorciadas da Líder.

Dos recursos arrecadados com o DPVAT, 45% são repassados ao Ministério da Saúde para custeio do atendimento de vítimas de acidentes de trânsito.  Outros 5% são repassados ao Denatran, vinculado ao Ministério das Cidades, para aplicação em programas de prevenção de acidentes.

Os restantes 50% são destinados ao pagamento das indenizações. O maior volume de acidentes cobertos pelo DPVAT ocorre com motociclistas.