Secretaria de Estado da Saúde reforça campanha de multivacinação para evitar retorno de doenças já eliminadas no Brasil

0

A meta da Sesa para este ano é vacinar o maior número de pessoas em um menor espaço de tempo

Visando evitar o retorno de doenças altamente contagiosas, como a poliomielite (paralisia infantil), a rubéola, o sarampo, dentre outras, já eliminadas ou controladas no Brasil, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), reforça a campanha de multivacinação e alerta sobre a necessidade de a população manter as vacinas em dia. Para isso, enfatiza que é fundamental acompanhar o esquema de imunização para todas as faixas etárias estabelecido pelo Ministério da Saúde, controlando as doenças de forma intensiva.

A meta da Sesa para este ano é vacinar o maior número de pessoas em um menor espaço de tempo, pois quanto mais rapidamente as metas forem alcançadas, mais efetivo é o bloqueio.

publicidade

De acordo com a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo, essas doenças são prevenidas com vacinas disponibilizadas gratuitamente nas unidades básicas de saúde do Estado, que fazem parte do calendário nacional de vacinação.

Levantamento realizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o Brasil foi o primeiro país no mundo a incorporar diversas vacinas no calendário do Sistema Único de Saúde (SUS), e é um dos poucos que ofertam, de maneira universal, um rol extenso e abrangente de imunobiológicos.

No entanto, a alta taxa de cobertura vacinal para diversas doenças tem caído de forma acelerada nos últimos anos, colocando a Saúde em alerta.

“O Programa de Imunizações foi tão bem-sucedido ao longo dos anos que conseguiu erradicar, eliminar e controlar doenças, e isso fez com que elas desaparecessem ou diminuíssem drasticamente. Sendo assim, muitas pessoas passaram a acreditar que determinadas doenças não existiam mais e descuidaram da vacinação”, disse a coordenadora.

Danielle Grillo ressaltou que as vacinas são um dos mecanismos mais eficazes na defesa do organismo contra agentes infecciosos e bacterianos, e consiste na proteção do corpo por meio de resistências às doenças que o atingiriam. “As vacinas são produzidas por substâncias e microrganismos inativados ou atenuados que são introduzidos no organismo para estimular a reação do sistema imunológico quando em contato com um agente causador de doenças”, explicou.

Além disso, a disseminação de informações falsas sobre vacinas nas redes sociais dificulta o processo de imunização das pessoas. Frases como “A vacina é mortal”; “Essas doses já mataram milhares”; “Não vacine seus filhos. É um risco”, têm sido amplamente compartilhadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens, como o WhatsApp.

Danielle Grillo ressalta que essas informações são infundadas, mentirosas e apelativas, e colocam a saúde da população em risco.

Esquema de vacinação

Ao nascer

  • BCG (Bacilo Calmette-Guerin) – (previne as formas graves de tuberculose, principalmente miliar e meníngea) – dose única
  • Hepatite B – dose única

2 meses

  • Pentavalente (previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções por HiB) – 1ª dose
  • Vacina Inativada Poliomielite (VIP) (previne poliomielite ou paralisia infantil) – 1ª dose
  • Pneumocócica 10 Valente (previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo) – 1ª dose
  • Rotavírus (previne diarreia por rotavírus) – 1ª dose

3 meses

  • Meningocócica C (previne a doença meningocócica C) – 1ª dose

4 meses

  • Pentavalente (previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções por Haemophilus influenzae tipo B) – 2ª dose
  • Vacina Inativada Poliomielite (VIP) – (previne a poliomielite ou paralisia infantil) – 2ª dose
  • Pneumocócica 10 Valente (previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo) – 2ª dose
  • Rotavírus (previne diarreia por rotavírus) – 2ª dose

5 meses

  • Meningocócica C (previne doença meningocócica C) – 2ª dose

6 meses

  • Pentavalente (previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções por HiB) – 3ª dose
  • Vacina Inativada Poliomielite (VIP) – (previne poliomielite ou paralisia infantil) – 3ª dose

9 meses

  • Febre Amarela – dose única (previne a febre amarela)

12 meses

  • Tríplice viral (previne sarampo, caxumba e rubéola) – 1ª dose
  • Saiba mais sobre sarampo
  • Pneumocócica 10 Valente (previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo) – Reforço
  • Meningocócica C (previne doença meningocócica C) – Reforço

15 meses

  • DTP (Difteria, tétano e coqueluche) – 1º reforço
  • Vacina Oral Poliomielite (VOP) – (previne poliomielite ou paralisia infantil) – 1º reforço
  • Hepatite A – dose única
  • Tetra viral ou tríplice viral + varicela – (previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora) – Uma dose

4 anos

  • DTP (Difteria, tétano e coqueluche)  – 2º reforço
  • Vacina Oral Poliomielite (VOP) – (previne poliomielite ou paralisia infantil) – 2º reforço
  • Varicela atenuada (previne varicela/catapora)

Meninas de 9 a 14 anos / Meninos de 11 e 14 anos

  • HPV (previne o papiloma, vírus humano que causa cânceres e verrugas genitais) – 2 doses com seis meses de intervalo

11 e 14 anos

  • Meningocócica C (doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do sorogrupo C) – Dose única ou reforço

10 a 19 anos

  • Hepatite B – 3 doses, de acordo com a situação vacinal
  • Febre Amarela – 1 dose se nunca tiver sido vacinado
  • Dupla Adulto (previne difteria e tétano) – Reforço a cada 10 anos
  • Tríplice viral (previne sarampo, caxumba e rubéola) – 2 doses, a depender da situação vacinal anterior
  • Saiba mais sobre sarampo

20 a 59 anos

  • Hepatite B – 3 doses, de acordo com a situação vacinal
  • Febre Amarela – dose única, verificar situação vacinal
  • Tríplice viral (previne sarampo, caxumba e rubéola) – se nunca vacinado: 2 doses (20 a 29 anos) e 1 dose (30 a 49 anos)
  • Dupla adulto (previne difteria e tétano) – Reforço a cada 10 anos

60 anos ou mais

  • Hepatite B – 3 doses, de acordo com a situação vacinal
  • Febre Amarela – dose única, verificar situação vacinal
  • Dupla Adulto (previne difteria e tétano) – Reforço a cada 10 anos
  • Pneumocócica 23 Valente (previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo) – reforço a depender da situação vacinal – A vacina está indicada para grupos-alvo específicos, como pessoas com 60 anos e mais não vacinados que vivem acamados e/ou em instituições fechadas.

Gestantes

  • Hepatite B – 3 doses, de acordo com a situação vacinal
  • Dupla Adulto (previne difteria e tétano) – de acordo com a situação vacinal
  • dTpa (Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto) – previne difteria, tétano e coqueluche – Uma dose a cada gestação a partir da 20ª semana de gestação ou no puerpério (até 45 dias após o parto).