conteúdo publicitário

Nésio Fernandes aponta que, com a chegada do outono e com o aumento dos casos de doenças respiratórias, pode ocorrer aceleração também de coronavírus

Ao analisar o atual cenário da pandemia no Espírito Santo, o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, afirmou neste sábado (27), numa rede social que “a terceira onda da doença foi anunciada”. Ele associou a escalada da Covid-19 à chegada do outono, quando, normalmente há um aumento de casos de doenças respiratórias, entre março e abril.

conteúdo publicitário

“Neste momento, no ES, vivemos uma queda do nº de casos, uma estabilização das internações e dos óbitos pela COVID-19. Previmos que, pela sazonalidade das doenças respiratórias no ES, em mar/abr uma nova fase de aceleração poderia ocorrer. A terceira onda da doença foi anunciada”, postou.

O secretário, na sequência de tweets, critica o negacionismo e as fake news que, na sua análise, contribuíram para incentivar o avanço da doença pelo país. “Desde o início da pandemia, afirmamos que a tese da imunidade de rebanho seria insana. A segunda expansão da doença no Brasil, ocorrida a partir de outubro, confirmou-se com a asfixia do povo amazonense – palco do pior cenário que o Brasil vive”, postou.

Ele também cobrou mais empenho do Governo Federal, ao lembrar que o combate à pandemia não deve ficar restrita às ações dos Estados e governadores. “A condução das medidas efetivas para combater uma pandemia não se restringe a portarias e decretos de gestores. É necessário alto grau de coesão social, institucional e científico e de medidas econômicas concretas por parte da União”, publicou.

De acordo com o Painel Covid-19, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), atualizado na tarde deste sábado (27), o Espírito Santo registrou, em 24 horas, mais 9 mortes em decorrência do novo coronavírus. Com isso, o total de óbitos causados pela doença no Estado, desde o início da pandemia, chegou a 6.397.