Resgatar conhecimentos tradicionais e disseminar práticas de manejo agroecológico da criação de galinhas caipiras e abelhas nativas sem ferrão são alguns dos objetivos da Unidade Experimental de Produção Animal Agroecológica (UEPA) do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). Localizada na Fazenda de Linhares, a unidade tem se tornado uma referência na disponibilização de tecnologias para agricultores familiares e comunidades tradicionais.

Nos últimos meses, diversos agricultores procuraram a Unidade a fim de obter informações técnicas sobre a criação de abelhas e de galinhas caipiras.

publicidade

“Neste ano de 2019, cerca de 200 pessoas visitaram a Unidade, reforçando a UEPA como um local de extrema importância para disseminação e troca de conhecimentos e tecnologias para agricultores, alunos e técnicos, incentivando a diversificação de culturas e a produção agroecológica”, disse a extensionista do Incaper, Maíra Formentini.

Conceição da Barra

Interessados em conhecer na prática o sistema de criação de galinhas caipiras, 10 pescadores de Conceição da Barra visitaram a Unidade acompanhados pelo extensionista do Incaper, Felipe Silveira Vilasboas.

“A visita foi uma iniciativa da Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), executada pelo gerente de pesca, aquicultura e produção animal Alejandro Garcia Prado, em parceria com a prefeitura de Conceição da Barra, com intuito de apresentar novas ideias de geração de renda para os pescadores atingidos pela lama do rompimento da barragem de Mariana”, contou a extensionista Maíra Formentini.

O grupo foi recebido no setor de avicultura da UEPA pela própria extensionista. “Eles puderam acompanhar todo sistema de produção de galinhas caipiras em galinheiros fixos com acesso a pasto, e em galinheiros móveis. Na oportunidade, puderam aprender também um pouco mais sobre cuidados, alimentos alternativos e fitoterápicos utilizados na produção agroecológica”, disse.

Os visitantes estiveram também no setor de apicultura e meliponicultura. “O extensionista do Incaper, Alex Fabian Rabelo Teixeira, mostrou um pouco do início da produção de abelhas africanizadas. Ele apresentou os materiais necessários para a criação e algumas técnicas de manejo. Em seguida, os produtores puderam visitar o setor de criação de abelhas sem ferrão, conhecer algumas espécies e saber um pouco mais sobre os cuidados necessários”, acrescentou Maíra Formentini.

Montanha, Rio Bananal e São Gabriel da Palha

Agricultores familiares do município de Montanha também estiveram na Unidade para conhecer as instalações e aprender mais sobre galinhas e abelhas. Foram 25 produtores rurais, muitos deles integrantes do Projeto Dom Helder Câmara, acompanhados pelo extensionista Fábio Morandi. Alunos dos 2º e 3º anos da Escola Família Agrícola dos munícipios de Rio Bananal e São Gabriel da Palha também visitaram a UEPA. A visita fez parte das viagens de estudo promovidas pela escola, por meio das quais os estudantes puderam visualizar na prática os conhecimentos adquiridos durante o ano.

Bahia

Estudantes de Agronomia do Instituto Federal Baiano de Teixeira de Freitas, acompanhados pelos professores Ana Rosa Alves de Oliveira e Júlio Cláudio Martins, também visitaram a Unidade. Os estudantes fizeram um tour pela fazenda do Incaper, passando pelo laboratório de bromatologia (estudo dos alimentos), pelo setor de avicultura, laboratório de entomologia, vitrine forrageiras e laboratório de solos.

Sobre a Uepa

A Uepa faz um trabalho de resgate, melhoramento e multiplicação de recursos genéticos de galinha caipira e abelhas nativas e todo o saber associado à avicultura tradicional e meliponicultura. As atividades implicam na conservação de um patrimônio biocultural de valor imprescindível para as comunidades tradicionais e científica. O projeto prevê a melhora do autoconsumo da própria família com alimentos livres de agrotóxicos e transgênicos, ricos em fontes de energia, como o mel; proteínas, como ovos, carne de frango e pólen; sais minerais e vitaminas, como mel de abelhas africanizadas e sem ferrão.

Texto: Juliana Esteves, Maíra Formentini